..Bem vindo ao mundo invertido, surreal, abstrato e desconexo que surge a partir desta realidade imaterial.. cada vez mais invertido, surreal, dadaista,expressionista, abstrato, desconexo e subversivo, com muito orgulho disto..

28 maio, 2010

Cronicas de LuneReal : A menina e o homen de terno ( part 3)

Imagem Tim Burton



Continuando...

___________________


Um toque, um simples toque, o que houve foi o pensamento de Sophie, ela ainda estava ali na frente do homem, Lygia esta logo ao lado observando com um sorriso longo que mostrava suas covinhas, mas ela também percebeu que todos estavam estáticos, imóveis, como estatuas, ela estava ali no mesmo lugar, porem só observava tudo parado, embora o mesmo ângulo de antes, mas tudo diferente, tão mais suave, tão mais eterno, isto aqui não é a cidade, provavelmente nem mesmo real isto deve ser, onde estou?
 Então ela percebe que algo se movia, talvez por estar tudo tão imerso na inércia qualquer coisa que não estivesse no mesmo estado sobressaísse ela não sabia, mas percebeu algo se movendo, era como se fosse uma cortina, a noite, era como se algo tentasse fechar os olhos porem tão lentamente que parecia o por do sol, neste mesmo momento, ela sentiu como que se a resposta estivesse implícita, algo estava lhe dando a resposta, sentia um fluir dentro de si, um fluxo, e foi então que ela percebeu, tomou consciência, aquele por do sol, a cortina, ela estava prestes a piscas os olhos quando o homem lhe tocou a fronte e tudo aquilo estava acontecendo, porem em um lugar, um estado da mente, estado de espírito, onde o tempo, a percepção estava alterada.

O homem ainda sorria em sua frente, sua mão ainda tocava a sua testa, sua filha estava ao lado sorrindo e Sophia estava ali ainda pensando, raciocinando, era inconcebível algo assim, ela tentou reunir forças para se mover, não as achou em lugar nenhum, ela estava presa, mas onde? Onde eu estou? Tentou gritar, mas o que aconteceu foi apenas um eco mudo para algum lugar que ela não sabia onde era.
Você esta em sua mente, não era uma voz, era algo mais complexo, complexo e ao mesmo tempo simples, ela compreendeu não por ser pronunciado, mas sentiu a essência da informação, a intenção, a vontade que surgia, o fluir para sua percepção, tão transcendente aquela sensação, Sophia por um instante quase entrou em um delírio quando percebeu tal verdade, estou em minha mente, mas de uma forma tão única, singular, tão perfeita, o mundo esta La fora e eu aqui, imersa em meus pensamentos mais profundos.
Mas após ela se deliciar com tal sensação, uma questão surgiu tão subitamente quanto à resposta, quem disse isto?
 Quem me levou a perceber tal verdade? Sophia ao deixar seus pensamentos controlarem sua percepção, foi se distanciando do mundo externo, do homem peculiar, de sua amiga imaginária, de tudo que antes era tão real, agora parecia tão sem importância.
Quem sou eu? A voz continuou a fluir por entre a menina, Sophie procurava por todos os lados algo que lhe indicasse onde estaria aquela pessoa, espírito, que lhe falava, mas não encontrou, Me procura minha cara Sophia? Indagou a voz mais uma vez, agora já não tão primordial, Sophie estava se adaptando a sua nova realidade abstrata, Eu preciso vê-la para que possamos conversar melhor, ela respondeu para o interlocutor misterioso.
Quem eu sou e onde eu estou, até agora já são duas perguntas, apenas mais uma pergunta e suas respostas começaram a se aproximarem de você, mais uma vez a voz se pronunciou nos fundamentos da mente da menina, por alguma razão desconhecida Sophia sabia mais do que a voz lhe falava, ela sentia pelo fluir que lhe causava que a voz era de tom feminino, também sabia que era mais velha que ela, mais madura, austera, decidida e que não estava mentindo, a menina se perdia entre as conclusões, mas não descobria como podia perceber tais características de sua interlocutora anônima.
Perguntas? 
Ela esta me analisando? Mais e mais questões emergiam na mente de sophie enquanto a voz ficava em silencio, a menina mergulhava tão profundamente neste mar obscuro e desconhecido que mal podia ver o que ocorria no exterior de sua mente, sua atenção estava toda voltada para aquele momento que parecia infinito em sua conclusão, eu não entendo a profundidade deste lugar, minha mente, uma imagem do passado surgiu, quando ela tentou associar mente ao tempo, algo que ela havia lido sobre relatividade, porem suas memórias não conseguiam suprir as respostas para as perguntas que pulsavam como estrelas.
Creio que a terceira pergunta já foi feita, sua conclusão de que não consegue chegar a uma resposta usando conhecimentos adquiridos neste reino é algo que te levará mais próxima das verdadeiras respostas que procura, a interlocutora agora parecia mais próxima, Sophie pôde sentir a mudança no fluxo, estava chegando perto enquanto falava, Minha querida, eu estou aqui, a menina sentiu algo partir de dentro de si mesma, uma onda que mudava seu interior, suas duvidas, suas percepção, foi no meio desta sensação que ela conseguiu ver pela primeira vez algo alem do vazio.
Bem na frente da menina surgia um par de olhos, olhos negros, de uma profundidade infinita, no mesmo instante que ela os viu, tentou achar o fundo naqueles mares obscuros, mas não teve êxito, logo após os olhos parecia que estavam se formando um corpo ao redor deles, ossos, nervos, músculos, pele, tudo de forma cadenciada.
E lá estava, uma menina, Sophia e parada na sem sua frente uma mulher de traços tão suaves, simples, alvos, completamente nua, a menina ficou impressionada com o surgimento quase espontâneo da mulher, sua interlocutora antes sem corpo físico.
Os olhos quando perceberam que agora tinham um corpo, se fecharam, a mulher levantou um braço e balançou seus belos cabelos loiros e como um passe mágica eles mudaram de longos para um corte parecido com o de Sophie, a única mudança foi que o cabelo loiro dela tinha as pontas negras, em seguida começaram a surgir roupas no corpo nu, Agora você pode me ver, podemos começar? disse em um tom suave, já não era mais aquela estranha comunicação de antes, agora eram palavras, sophie já estava se acostumando com aquelas sensações extasiantes, mas agora eram palavras, simples e belas palavras.


_____________________

Continua....

16 comentários:

Eduardo Andrade disse...

psicodélicamente perfeito !

:D

http://preludiopostumo.blogspot.com/

Nath Ataíde disse...

Pretendo te visitar, mais vezes gostei muito do jeito que você escreve, super descritivo.
Estou te seguindo ;*

Alexandre Terra disse...

mt bom, gostei tanto q vou ler os outros!

http://alexandreterra.blogspot.com/

Macaco Pipi disse...

humm
isso me lembra muito uma época boa
de coisas boas
e escrituas rabiscadas

Tomaz C Frausino disse...

muito bom o seu conto...
bem narrado... bem chamativo...
E adorei o modo pelo qual você seleciona as palavras... parece uma prosa poética... gostei muito..

Se quiser e/ou tiver tempo dá uma passadinha no meu blog... também é de contos, crônicas e poemas
http://literaturandoomundo.blogspot.com/

Coelha. disse...

mt bom, gostei bastante do conto! :)
Voltarei aqui mais vezes! :D

Se puder passa lá no meu blog! ;)

http://coisasdecoelha.blogspot.com/

umkissu;

Arthur D'mello disse...

legal o conto, e a imagem do burton,
as perguntas me lembrou o desenho caverna do dragão e o mestre dos magos.

Weslley_Wel disse...

confesso que de inicio me interessei mais pelas imagens do burton.. mas tu conseguiu me fazer um favor, que é o de estimular meu interesse a leitura!
Rsrs

Yordan Cavalcanti disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
Rafael Queiroz disse...

eu li, sem ver a primeira e segunda parte ... mas achei psicodélicamente PERFEITO! como a outra disse (:
Agora tô indo ler a segunda e primeira parte.
abraço

Rafael Queiroz disse...

eu li, sem ver a primeira e segunda parte ... mas achei psicodélicamente PERFEITO! como a outra disse (:
Agora tô indo ler a segunda e primeira parte.
abraço

Rafael Queiroz disse...

volto a dizer que tá MUITO FODA.
li os outros dois textos e ADOREI, tudo muito psicodélico e genial! valeu cara, abraços.

iago disse...

Adorei o conto!! muito bom!!! vou ler o resto!!!!

http://iagopatucci.blogspot.com

Francorebel disse...

Adorei também, tem estilo... valeu!

Hyago Fantinel disse...

quem me conseguir 10 seguidores
e divulga meu blog estara concorrendo
o livro Amanhacer tudo isso no blog.

www.hyagofantinel.blogspot.com
ja to te seguindo viu

Tititiecia. disse...

Eu também leio esse conto sempre que posso acredito? Simplesmente, amo ler! Li 08 livros nas férias e não fiquei contente! Na web é a mesma coisa! Parabéns, voc escreve muito bem! E a unica coisa que posso pedir é continuação, haha

Parabéns e sucesso no blog!
Beijos das meninas tt
revistatudoteen.blogspot.com