..Bem vindo ao mundo invertido, surreal, abstrato e desconexo que surge a partir desta realidade imaterial.. cada vez mais invertido, surreal, dadaista,expressionista, abstrato, desconexo e subversivo, com muito orgulho disto..

05 maio, 2010

A luz: o despertar da duvida (part 1)


Imagem Edward Gorey



Na fumaça asfixiante que suas mentiras incitam a verdade parece ser apenas um brilho fugaz e bruxuleante atrás da densa cortina enganadora.
As mãos fracas não conseguem dissipar as palavras e atos que compõem essa atmosfera mórbida onde nos faz sobreviver miseravelmente, fracos raios da verdade chegam e morrem aos pés de quem tanto necessita de luz.
Levemente vejo seu sorriso, ouço seu gargalhar movimentar a ar envenenado, seus passos opressores fazem o chão tremer e em resposta os suspiros chegam aos céus, servos pedem perdão pelo que não fizeram, o medo adentra os corações dos fracos que não tem força em seus joelhos para erguerem sua coragem.
Muitos erguem seus olhos e vêem a face do mal que lhes assolava a alma e espírito, os corpos se negavam a fugir trêmulos, acorrentados pelo crescente desespero, o medo de mais dor, porem a medida que a proximidade aumentava a neblina formada por suas palavras ficava mais fraca, sua imagem tomava formas entre a escuridão, e revelaram os traços suaves de uma doce criança surgiram de entre as nuvens de enganação.

O medo antes crescente, agora, se transformava em duvida, poderia a destruição iminente ser a pura inocência?
Pensamentos, conclusões e reflexões surgiram quando a voz infantil penetrou na multidão de escravos da não verdade.
Com suas palavras multifacetadas reabriu a fechaduras por um momento e deixou-os respirar, um breve momento de liberdade, o ar voltou em seus pulmões e logo após a maldita fumaça impregnou seu interior tão mais profundo quanto uma adaga em pele virgem.
Por um breve momento de liberdade em que pode respirar, uma consciência ganhou luz.
Asas surgiram, como o sol escondido por entre as nuvens alçou vôo dentro de sua mente, seguiu o caminho até a fonte da luz, o conhecimento da verdade lhe deu força.
Olhando para seus sutis traços inocentes, encontrou o caminho para sua verdadeira aparência dentro da aparência juvenil, encontravam-se rostos, rostos estes como o dele mesmo, de pessoas, com alma, carne e espírito, porem pervertidas por suas próprias mentiras mergulhadas em seus olhos opacos e sem vida, cobiçando mais, mais, incessantes por algo que preenchesse seu vazio.
Uma mescla de desespero e ódio quase tomou conta de seu interior naquele instante, uma sensação indescritivelmente dolorosa, algo queria sair de dentro de seu peito e adentrar aquele tormento junto com aquelas almas amordaçadas por sua própria cobiça, dor, medo, sofrimento juntos em uma única sensação que quase dominou seu interior em um único momento, não fosse a consciência de seus companheiros sofrendo ao seu lado teria sucumbido ao desejo negro.
E mais uma vez a luz antes longe agora se fez tão intensa em seu corpo, seus joelhos descobriram o peso que antes não havia em seu corpo, com percepção de um mundo sem a máscara da fumaça, a claridade da luz dava formas únicas de perfeição surreal, tão definida quanto à mente consegue conceber sua irrealidade momentânea.
_______________
continua...

2 comentários:

anninha disse...

Qe meedoo! HAHHAHA

achei been legal !

Shaw Morrison disse...

ahushuashau ficou legal bagarai