..Bem vindo ao mundo invertido, surreal, abstrato e desconexo que surge a partir desta realidade imaterial.. cada vez mais invertido, surreal, dadaista,expressionista, abstrato, desconexo e subversivo, com muito orgulho disto..

05 maio, 2010

A luz: o despertar da duvida (part 2)


Imagem Edward Gorey


Uma suave tensão nos músculos de um corpo atrofiado pela letargia na faziam efeito, os membros inferiores nunca usados relutam em se levantar, a segunda onda de esforço sobre o corpo força ainda mais a reaver aquilo que havia se perdido desde o nascimento, o controle sobre si próprio.
Nunca alguém havia usado sua língua antes e agora ele tentava formar palavras contra seu mestre, o conhecimento sobre sua real forma lhe dava impulsos momentâneos, espasmos se espalhavam pelo corpo enquanto as correntes juntavam seu peso ao do próprio corpo atrofiado.
Alguns olhavam o escravo que tentava se levantar, admirados com sua força, mas para eles a nuvem ainda pairava em seus olhos impedindo que compreendessem o que realmente acontecia naquele lugar.
Quando novamente o senhor em sua total calma observava o agora quase ereto servo, em um simples olhar faz o subversivo homem lhe dar atenção e com um piscar de olhos os dois mergulham rumo uma consciência única formada por seus intelectos, onde a dor dos espasmos passou e a luz sumiu da visão.

As sensações pareciam ter sumido, o corpo não respondia mais, só estava ali a sua consciência, quando a voz começou a se pronunciar.
Falaram, sobre prazeres, dor, liberdade, sentimentos, liberdade, o senhor começou a fazer um discurso sobre como se prender a limites tão insignificantes era depreciativo para alguém que conseguiu sobrepujar a escuridão da ignorância.
Podiam-se ouvir dezenas de outras vozes juntas falando como se fossem uma única, seu poder podia ser sentido a distancia, a cada palavra sua influencia crescia, algo começou a surgir dentro da certeza que firme aquentava as investidas maliciosas da entidade coletiva, a dúvida, sua asquerosa aparência surgiu tão próxima da certeza que começou a provar o gosto de influenciar a opinião.
A semente havia sido plantada, uma luta havia começado entre a dúvida e a razão concreta, a tentação estava em sua frente, a ganância, o vicio, o desejo, o mal que havia lhe afligido a vida toda e a duvida lhe corroia a única certeza que ele tinha, a de estar fazendo o melhor, melhor para si, ou melhor, para todos?
Neste exato momento sentiu algo mais forte que aquela duvida, mais forte que aquele limbo onde estavam e perdeu a consciência.

_________________

continua...

Nenhum comentário: