..Bem vindo ao mundo invertido, surreal, abstrato e desconexo que surge a partir desta realidade imaterial.. cada vez mais invertido, surreal, dadaista,expressionista, abstrato, desconexo e subversivo, com muito orgulho disto..

02 dezembro, 2010

Diario de um perdido #27

Parado deixando os ventos beijarem meus cabelos enquanto punx cantam sobre uma transformação indesejada no interior da personalidade que antes era dita “indomável” e agora mescla em limites e desejos sentimentais, apreciando toda a monotonia que essa falta de percepção do brilhantismo da existência me traz.
Os raios de luz entram pela mesma janela como se fossem conhecidos entorpecidos por algum calmante, a poeira dança pelo ar enquanto despejo meu corpo em uma cadeira pouco usada, encontrando uma posição menos sem desvantagens para relaxar um pouco, simples desejos e momentos para satisfazê-los.

Embalado pelos riff’s rápidos e sujos de um guitarra de marca desconhecida, me deixo levar pela melodia juntando a sintonia de meus pensamentos em pequeninos mundos onde tal letra começa a fazer sentido, os efeitos das reações químicas que chamamos de “sentimentos” realmente são tão palpáveis quanto o destino que nos aguarda, o verão que esperamos ainda não existiu em nosso passado futuro e assim aos poucos me desprendo do foco original, me deixando leve neste vento que seca meu cabelo, nesta musica que me eleva a uma percepção cognitiva alterada à esse pensamento puramente único neste momento nada menos que singular deste dia, apenas vivendo cada momento em sua essência. 

6 comentários:

Barbara Nonato disse...

Viajei junto com teu texto. Tanta grandiosidade em cada pequeno momento de tempo que parece não terminar mas, mesmo embutido de algum sofrimento, eleva a reflexão.
Gostei muito da tua escrita. Poesia em prosa!

Kiko Lemos disse...

Primeiramente parabenizo pelo seu post está muito bom de verdade.

Segundo pela retribuição ao meu post. De antemão entendo seu questionamento ao assunto abordado por mim, particularmente sou a favor da legalização da maconha mesmo sem ser usuário pq acredito ñ ser nada demais, apenas a ñ uso por possuir uma opinião já formada, mas respeito todos q usam como disse no próprio texto: “longe de mim questionar ou julgar...”

A questão levanta foi o fato do rapaz ter dito q começou a consumir dentro da universidade por intermédio de uma colega e assim como vc tbm sou de uma instituição pública e confesso q de fato comecei a ter conhecimento do q era “droga” dentro na própria faculdade por amigos q usam e q me já ofereçam, mas nunca tive vontade de experimentar.

Desde já fica um forte abraço.

Thiago Augusto disse...

caracas qeu texto fantastico, gostei muito muito msm brother !
Parabens pelo blog

André Lucas de Almeida disse...

Muito bom esse texto!

Descançando a mente. Um minuto de pausa. disse...

Gostei muito deste texto. Seu blog é maneiro.

http://descansandoamente.blogspot.com/

Naírla Silva disse...

Muito bom o texto.. como sempre né, sou uma leitora fiel do sue blog. Bjs

http://coposcheiosdevodkaerocknroll.blogspot.com/