..Bem vindo ao mundo invertido, surreal, abstrato e desconexo que surge a partir desta realidade imaterial.. cada vez mais invertido, surreal, dadaista,expressionista, abstrato, desconexo e subversivo, com muito orgulho disto..

18 março, 2011

aleatoriedades e caos ideológico #3



Hilário é dizer que as limitações apenas se aplicam ao finito, o cenário ao meu redor se descreveria tão finito que poderia em um surto de tédio tentar diferi-lo do limitado, deixando-o livre das regras, em meio a tantas formas que eu conheço de desapropriar algo da sua realidade gosto de distorcer tudo e todos em sua própria essência, odeio a unilateralidade, gosto da palavra simplificada, possibilidade, caos, acaso, seja lá qual for ela, o infinito esta intrínseco em sua significância, ou insignificância, a única certeza que tenho é que sou incerto, um paradoxo por origem, inexistente só por existir, no fim somos apenas possibilidades ínfimas, menos que o nada, quase algo, depende apenas do ponto de vista, o ângulo da visão, do subjetivo aplicado à equação.
Apenas um quase algo dentro do nada infinito.. 

Um comentário:

Karla Hack dos Santos disse...

Putz! (no melhor sentido da expressão)
Adorei a visão lírica e realista do que, na realidade, somos todos nós...
A frase final resumiu bem!

;D