..Bem vindo ao mundo invertido, surreal, abstrato e desconexo que surge a partir desta realidade imaterial.. cada vez mais invertido, surreal, dadaista,expressionista, abstrato, desconexo e subversivo, com muito orgulho disto..

22 julho, 2012

Diarios de um perdido #41



já foi dito tanto sobre a constancia, esforço, dor, abandono, ressentimento e medo, apesar disso estou com aqui, jogado, lançando ao vento estagnado do nada estes pensamentos.
é difícil assumir que os atos ja foram feitos, as medidas estao tomadas, a ideia de que o fim ja foi decidido não solta minha mente, sinto as unhas entrar em minha carne e contaminar minhas veias com esse melancolico momento.
o silencio que precede o fim, talvez seja esta a melhor colocação para o agora, ou talvez o medo de ter que respirar novamente e dizer "valeu a pena".
realmente estava com saudades de me ver livre assim, apenas nas palavras, nos sentidos, quebrar as cadeias de sempre se escutado, saciar minha vontade eterna de gritar comigo mesmo, trazer em golpes, atos, reprimendas, tudo o que for passivel de aceitação, que me faça gritar, chorar, preciso por essa sensação em check, ao menos uma vez, ser sincero comigo mesmo, largar tudo o que ja se passou e viver a realidade.
sei que sao apenas palavras, comecei com um intuito, mas sei que terminarei com outro, afinal, manter um pensamento unico é um objetivo impossível.

agora começando outra etapa, pensando em possíveis fins, mesmo com os toque suaves daquela sensação que me diz "vai tudo ficar bem", sei que para isto acontecer terei que novamente me por para baixo de um objetivo que me pede para ser perfeito, eu sei que nunca serei, não aquele certinho, mas não me vejo junto a ela como o ideal, minha falhas se perdem, meus dias passam, estou fazendo meu melhor, dentro de mim o medo cresce de uma forma que me aflige todos os dias ao acordar.

estar em um caminho sem volta, me por de frente ao abismo e mergulhar, sentir os ares tocarem meus ouvidos entoando luzes multicoloridas, uma miríade de sons que me renova a medida que entro junto ao perigo de tocar o chao, morrer de amor, de dor, solidão.
sinto meus braços voarem junto a vontade de regurgitar palavras no banheiro, sonhei com o esquecimento e meus dedos pegaram o muco do prazer que escorreu pelo travesseiro, procuro um pouco de prazer, apenas um pouco, mas achei apenas a satisfação em me prender nestas vigas e me lançar contra o chão, retornar a realidade, explodir tudo que esta dentro de mim, chegar ao fim, poder realmente dizer, eu morri, ou nao dizer, apenas ser... e estar.

pensamentos que se lançam, periddos e doentes, febris, enjoados, cabisbaixos seguinfo o ritmo das batidas de um coração despedaçado por lembranças de uma voz que me machucava com sua dor, entrava cada letra e suspiro dentro das minhas veias dilacerando todas as esperanças de me soltar, me deixar livre, de nao cair, de adorar cair.
a vontade cresce, o desfecho nunca chega, apenas partes de um fim interminavel que sempre retorna, queria que ela pudesse esquecer os erros, pudesse deixar de traze los novamente para a superficie, sera que nao percebeu ainda que estamos nadando? mergulhando neste mar, a contaminação so progride dentro de mim, cada vez mais percebo isto, sei que ela nao controla, mas cada vez que me faz sentir culpado, me mata, me destroi, me leva para um lado de mim que eu estou conhecendo cada vez mais, com mais frequencia, com mais demencia, intenso, extenso, mais propenso a nao sair desta porta.

ainda estou aqui sentado, tentando equilibrar minha coluna torta junto com esse sentimento de perda antecipada, nao sou nada, perdi tudo, e estou ainda caindo dentro do mar, do chão, da morte, do medo de perder o que ainda nem temos.

tantas palavras ja foram ditas, poderia continuar por anos, dias, mas realmente não espero que voce vá entender, estou sendo vitima disto tudo tambem, todos nós, parados ou caindo, estamos mais proximos do fim, a unica pergunta que realmente importa é "onde vc deseja estar  e por onde vc gostaria de ter passado antes do fim?"
eu quero apenas estar do lado dela.
mesmo perdido e errado, nunca me achei no lugar certo, mas sinto que estou proximo quando estou com ela, nao quero perder isso, a unica sensação boa que ja senti, essa é a verdade.




Nenhum comentário: