..Bem vindo ao mundo invertido, surreal, abstrato e desconexo que surge a partir desta realidade imaterial.. cada vez mais invertido, surreal, dadaista,expressionista, abstrato, desconexo e subversivo, com muito orgulho disto..

29 junho, 2013

Diarios de um perdido #45


(25/09/12)

o azul se beija junto a janela com o cinza que apos varias tentativas de domínio espiritual com carnaval se entrega a ultima opção de vitoria sobre a percepção do seu objetivo. ali deitado inerte sonhando sobre doenças da verdade e curas para a não duvida que macula tudo que anda sobre as certezas da ignorância.
o embate etéreo se mantem banhado a luz de uma nuvem transpassada pelo sol matutino, assim os ventos excitam as paredes gélidas em sua postura monolítica, inquestionável e propositalmente invisíveis e desprovidas de significância para o todo revoltoso que se move dentro de um quarto na forma de ideias, danças de conceitos entre musicas regadas em tons de dor e prazer. serenos cortes são feitos em cima de uma certeza já estrupada por vontades massivas e não desenvolvidas, mas sim transmutadas em replicas conscientes de uma obra digna de deuses.
os olhos apáticos das composições de tijolos e cimento apenas mantem sua firmeza inanimada em cima do objeto que se mantem suspenso de seu próprio cotidiano ao destrinchar modos de alcançar a ideal fuga para longe dos duelos entre a cinzenta parede e a janela azulada que separam o interior do exterior bloqueado pela simples existência de uma parede.
o impacto das brincadeiras da fortuna é doentio e mortal sobre as danças, festas e orgias que fluem tão vivazes dentro da prisão objetiva, eles ignoram a conclusão de seu sumo sacerdote que mergulhava em uma busca pela verdade, algo que o levasse do local de pura angustia de morte em que se encontrava, buscava apenas uma fuga do local, uma fuga da vida, uma fuga das tentativas de ser dominado por si mesmo e sua única saída permanecer estático ou beber dos orgasmicos prazeres dispostos em seu festival onírico de horrores vividos, grades em formas de sentidos, sensações não existentes... uma fuga.

Nenhum comentário: